terça-feira, 26 de janeiro de 2016

É PRECISO CORRER COM ELES



Cascais vai ter mais uma Festa desportiva, com a realização no próximo carnaval dos 20 Km de Cascais e a rapidinha de Cascais.
Li a notícia, pensei em Cascais, na forma como a gestão da Câmara tem sido feita, na forma “elegante” como Carreiras e os seus ajudantes de campo tratam a oposição ou mesmo aqueles que se limitam a discordar pontualmente e apeteceu-me CORRER COM ELES!
Acho sinceramente que, embora estejamos a meio de mandato autárquico, não é cedo demais para começar a CORRER COM ELES!
E o primeiro passo pode ser dado aproveitando os 20 km de Cascais para CORRER COM ELES!
Mas este tem de ser um desígnio de Cascais, das suas gentes que ainda se importam com a sua Terra, que pretendem que Cascais continue a ser a terra mais bonita do universo, não só pelas suas paisagens, mas especialmente pelas pessoas que lhe dão vida. Para tornar este objectivo exequível, é preciso, sem demoras, começar a CORRER COM ELES!
Os que amam Cascais, não podem continuar a fazer de conta que não se passa nada! Não podemos ficar em casa no sofá, temos de sair para a rua, participar em todas as “corridas” e CORRER COM ELES!
As forças políticas, os movimentos cívicos têm de perceber que a meta só é atingida se conseguirmos CORRER COM ELES!
Se for preciso em união pois que seja.
Se for preciso uma solução de equipa pois que seja!
Cascais tem que colocar um ponto final nesta forma de fazer política, de gerir pessoas e territórios!
Carlos Carreiras e a sua entourage trouxeram para Cascais o que de pior, mais ignóbil e mais truculento existe na política.
É tempo de colocar um ponto final.

Faltam cerca de dois anos. Até lá aproveitemos todas as provas, todas as corridas, mas vamos fazer um favor às gentes de Cascais: VAMOS CORRER COM ELES!

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

PASSAGEM DE ANO EM CASCAIS

A Passagem do Ano em Cascais foi um êxito!





Fica uma foto do Presidente e alguns dos seus Vereadores, em primeira fila, a assistirem ao fogo de artifício!...

Que 2016 vos traga Luz, 
(mas não o Luz!) 



Bebam bebidas, tintas de preferência. Dizem que fazem bem ao coração!

(Pena é que as rolhas que fazem para as garrafas não possam ser usadas para calar algumas bocas...)

Que as vossas "Carreiras" tenham sucesso em 2016...

(Desde que não seja com o dinheiro dos outros. Quem quer construir "carreiras" que o faça com meios próprios...)

2015 foi o ano dos rufias. Em Cascais tivemos uma coleção deles, nomeadamente na CMC...

Que 2016 seja o ano da Paciência e que 2017 seja o ano da Limpeza a Seco!

Em 2017, ADEUS NÓDOAS!





quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

O PASTOR


Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Carlos Manuel Lavrador de Jesus Carreiras é um gestor e político português.
Biografia
Cedo se mudou para Cascais, passando toda a sua infância e adolescência na freguesia de São Domingos de Rana. (…)Licenciado em Contabilidade e Administração pelo Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa do Instituto Politécnico de Lisboa, em 1988, Carlos Carreiras passou toda a sua vida profissional no mundo das empresas antes de chegar à política executiva.
Exerceu funções de direção e administração em diversos grupos privados, operadores nos sectores da hotelaria e turismo, imobiliário, distribuição de combustíveis e produtos de grande consumo.
Militante do PPD/PSD, sucedeu a António Capucho, como Presidente da Câmara Municipal de Cascais, a 28 de Janeiro de 2011, tendo sido candidato, com sucesso, da coligação PSD/CDS-PP à mesma autarquia nas eleições autárquicas de 2013. Antes disso, ocupava o cargo cargo de Vice-Presidente da mesma autarquia e, antes desse, o de Vereador, (…)


Era uma vez…
Um Lavrador decidiu, depois de ter passado uma parte da vida a lavrar terrenos de outros, que deveria dedicar-se ao pastoreio.
A agricultura feita nos terrenos dos outros frustrava a sua firme convicção de se tratar de uma força da natureza que estava a ser desperdiçada.
Acreditava ele que tinha especiais condições de liderança e a sua ambição levou-o a tomar a decisão de mudar de vida.
Tornou-se amigo de um outro Pastor de anos a cuidar de animais e resolveu dar-lhe o golpe do baú ficando-lhe com os animais.
Mas gerir o rebanho dava muito trabalho e num rebanho há sempre alguns animais com maior “personalidade” que insistem em ir pastar onde lhes apetece e não onde o mandam.
Rodeou-se de um conjunto de cães de guarda, para tomar conta do seu rebanho.
O Miguel, o Piteira, o Salgado, o Marques eram alguns dos cães que asseguravam que o gado não se tresmalhava.
Os animais não gostam de estar em espaços circunscritos. Gostam de ter a liberdade de se deslocarem para onde e quando lhes apetece.
Ora esta atitude dos animais colidia com a vontade do Pastor de controlar cada movimento dos seus animais.
Pensou então numa arrojada solução de quase truque cinematográfico.
Mandou fazer uns enormes cartazes com verdes pastagens e colocou-os em toda a volta do recinto onde queria manter as suas ovelhas.
Estas, olhando em que direção fosse, viam apenas lindos prados embora, sempre que se chegavam aos limites da vedação colidiam com as enormes fotos.
Mas virando-se ao contrário voltavam a ver enormes pastagens a perder de vista, fruto do efeito provocado pelos cartazes.
Rapidamente esqueciam a ideia de liberdade em face da sensação que os seus olhos lhes transmitiam de um prado sem limites…
Infelizmente para o Pastor, conviviam neste enorme rebanho de ovelhas e carneiros algumas cabras e bodes.
Não eram muitos mas a sua atitude mais destemida, a sua tentativa de ultrapassar obstáculos, de não se limitar a comer a erva do chão, aventurando-se a comer as tenras folhas dos arbustos mais altos, desafiando por vezes as leis da gravidade, vieram a transformar-se num enorme problema para a “sociedade animal” que o Pastor criara.
Só quem não conhece as cabras e os bodes!
Quando se chegavam junto da vedação, de forma destemida vai de começar a comer os cartazes e com facilidade deixaram à vista o embuste em que toda aquela “comunidade animal” se deixara cair.
Afinal não havia pastos infinitos. Tudo aquilo não passava de uma ilusão, uma imagem criada para enganar todos aqueles animais.
As cabras e os bodes foram os primeiros a saltar fora.
Uma boa parte das ovelhas acabaram por lhes seguir o exemplo ficando apenas no redil algumas mais velhas ou com manifesta falta de mobilidade ou visão… (Sim, há muitas ovelhas com falta de visão…).
Nem os cães de guarda lhe valeram. Em espaço confinado os cães são capazes de controlar mas em espaço aberto torna-se missão impossível!
O Pastor decidiu então recriar a vedação e desistiu de ter cabras e bodes.
Agora só ovelhas.
Das mansas, indolentes e com pouca visão…
Moral da História:
Os truques, as ilusões, até funcionam desde que com “pessoal manso, indolente ou com extrema falta de visão”.

Como perceberam, interrompo aqui uma longa sequência de temas sobre Cascais para me dedicar a histórias “para crianças”…

Aproveito para deixar a todos os meus leitores, os que acham alguma piada aos meus escritos e os muitos que vêm ler as últimas para ficarem verdes de raiva, um Muito Feliz Natal e um Ano Novo próspero e repleto de saúde.

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

VIOLÊNCIA AUTÁRQUICA: UM FLAGELO EM CASCAIS!


Em caso de violência doméstica nem sempre se sabe como pedir ajuda.
Uma campanha que surgiu nas redes sociais inglesas visa tornar famoso um ponto negro na palma da mão como um sinal de violência doméstica.
Em Cascais é notório nos últimos quatro anos sinais evidentes de violência autárquica.
No entanto, como na violência doméstica, não é fácil conseguir ajuda. Muitas vezes, quando nos tentamos queixar, a queixa chega mais depressa ao Presidente para preparar a retaliação do que a quem de direito para pôr ordem nos atos da Câmara de Cascais!
Um grupo de cidadãos de Cascais está a tentar criar uma forma de pedir ajuda, usando o exemplo da campanha inglesa mas com ligeiras adaptações.
Em vez de um ponto preto deverá desenhar duas bolas e um quadrado!
Para todos os que são perseguidos, ultrajados, humilhados e trapaceados pelo Presidente da Câmara de Cascais ou por algum dos seus vereadores com pelouros não podem hesitar: desenhe de imediato duas bolas e um quadrado na mão esquerda e aguarde que alguém o ajude!
Já agora uma explicação para o significado deste sinal:
Peço ajuda,
EU AINDA TENHO DUAS BOLAS PARA ME QUEIXAR DESTAS BESTAS QUADRADAS!
Ajude-nos a tornar esta campanha viral!

Tenha duas bolas para combater as bestas quadradas!

sábado, 17 de outubro de 2015

CARLOS CARREIRAS É O DEUS DA POLÍTICA

Tenho que tirar o chapéu a Carlos Carreiras pela sagacidade política demonstrada.
Do tosco e oportunista líder anunciado, afinal Carreiras demonstra uma capacidade política de um autêntico visionário.
Já nos deixou impressionado a forma como deu a volta a António Capucho e o deitou porta fora da Câmara de Cascais usurpando-lhe o lugar.
A uma dada altura, e fizemos eco disso nestes “escritos”, parecia que estava a construir uma claque nova, deitando fora todos os que estiveram na génese do Viva Cascais ou pelo menos arrumando-os onde não chateassem muito. O caso paradigmático de João Salgado, que parecia ter sido arrumado junto aos cães e aos gatos indiciava ser disso um bom exemplo.
Cometemos um erro de avaliação.
Carlos Carreiras antecipou que os animais iriam ter um peso importante na vida política portuguesa e o tempo acabou por o demonstrar com a eleição para o parlamento do primeiro deputado do PAN.
Mas este Partido está muitos furos abaixo do pensamento político de Carlos Carreiras.
O PAN ainda só está preocupado com os touros e as touradas, os canis e os gatis!
Carreiras já está muito à frente.


 O futuro sorrirá para quem perceber efectivamente o poder dos animais e a sua importância relativa na política portuguesa e muito especialmente no micro cosmos político de Carreiras em Cascais.
O grande pilar da política não são os bois, os lobos, os elefantes ou os hipopótamos, muito menos os cães e os gatos!
Mas há que fazer o trabalho de casa e nisso João Salgado tem tido um “peso extraordinário”!
O segredo está nos …parasitas!
O Partido que souber ler a importância dos parasitas na política conseguirá almejar vitórias atrás de vitórias e o seu poder não terá fim.
Carreiras está a preparar há muito tempo esse novo Partido com a colaboração directa de alguns bons espécies.
Basta olhar como estão a ser preenchidos os lugares chave na hierarquia municipal ou nas empresas municipais. Os parasitas estão a ganhar terreno e importância!
Um Partido que represente, compreenda e alimente os parasitas pode aspirar ao poder até ao infinito!

Carlos Carreiras não é um génio da política, é o DEUS!

terça-feira, 8 de setembro de 2015

O PREÇO DA IMPORTÂNCIA…



Passos Coelho decidiu vender o país a patacos.
O problema está no público, nos serviços públicos, portanto a solução é vender.

Esta é a tese defendida pela ala ultra liberal que tomou conta do PSD e dos destinos do nosso país.

Gostando-se ou não, seria uma opção não fosse o comportamento esquizofrénico que o PSD tem demonstrado nesta matéria.

Senão vejamos:
O Presidente do PSD quer vender tudo, os Correios, a TAP, os Lixos, a Água, o Património Imobiliário, tudo o que possa valer algum dinheiro.

Já não é muito aceitável que se venda os Correios e a seguir se faça um acordo para transformar os balcões daquela empresa agora privada em lojas do cidadão, a troco, claro, de uma comparticipação financeira do Estado…

Mas o que está a acontecer com Cascais é demais!

O governo quer vender um hospital em Parede… Carlos Carreiras, presidente da Câmara de Cascais e Vice Presidente do PSD compra… com dinheiro público!

O governo quer vender a antiga bataria de Parede… Carlos Carreiras compra…com dinheiro público!

O governo quer vender o autódromo do Estoril … e claro, Carlos Carreiras, mais uma vez com dinheiro público, compra!
http://www.dn.pt/desporto/interior.aspx?content_id=4545260


Há aqui algum contrassenso.

Se não, vejamos:

O governo tem alardeado uma vontade (pouco cumprida, diga-se de passagem!) de diminuir o estado, fazer o downsizing da máquina pública. O que faz o Vice-presidente do PSD Carlos Carreiras, também Presidente da Câmara de Cascais? Compra com o dinheiro público da Câmara, os bens públicos do Estado, engorda as empresas municipais com assessores e “especialistas” transformando o universo empresarial da Câmara de Cascais no maior centro de oferta de emprego do PSD no país!

A mulher do ministro ou do secretário de estado precisa de uma ocupação remunerada? Carreiras resolve! Com o dinheiro da Câmara de Cascais…

Só que, estes dinheiros têm origem nos impostos que todos nós pagamos. E, que me lembre, não foi pedido nenhum mandato por Carreiras na campanha eleitoral que legitime o desbaratar dos recursos financeiros do município!

Não podemos continuar a aceitar esta forma de gerir os bens da comunidade em nosso nome!
Decide-se em conversas de café, entre a degustação de uma bolacha e uma “mexidela” no café com o pau de canela, aquisições de bens do Estado pela Câmara de Cascais sem que tal esteja suportado num estudo de investimento, num projeto bem delineado para o desenvolvimento sustentável do município de Cascais!

Carreiras quer alardear a sua importância nos negócios do Estado, fazendo fretes para acertar as contas governamentais à custa da delapidação dos recursos financeiros de Cascais, os atuais e os vindouros!
Qual a diferença entre o comportamento de Carreiras em Cascais e o de Sócrates no governo da nação?

Nenhuma!
Ambos gastaram o que não tinham sem a preocupação de perceber quem o irá pagar!

A Sócrates ainda poderemos chamar est(r)adista, tal a fúria a construir terceiras auto estradas a ligar o mesmo destino mas a Carreiras, chamaremos especialista em imobiliário, ou será antes ignóbil(iário)?
Significado de Ignóbil

adj.m e adj.f. Característica do que é baixo, vil; que infringe as leis da moral: indivíduo ignóbil, comportamento ignóbil.
Que é de uma baixeza repugnante: procedimento ignóbil.
Que desrespeita o belo; que causa aversão ou nojo: atitude ignóbil.
pl. ignóbeis. 

(Dicionário online de Português)

terça-feira, 5 de maio de 2015

O ESTACIONAMENTO TEM NOVAS REGRAS

Volumómetros


Cascais vai ter parquímetros nos estacionamentos das praias.
A bem dizer nem é só o estacionamento, todo o acesso às praias vai ter novas regras em Cascais.
Uma ainda não muito falada é o pagamento que os utentes das praias vão passar a ser sujeitos em função do volume do seu corpo molhado e do volume em contacto com a areia.
Os volumómetros foram já encomendados, o mesmo administrador da Cascais Próxima que costuma ir comprar camiões em segunda mão à Alemanha já foi realizar o negócio em visita relâmpago à Finlândia, onde comprou em segunda mão, por “bom preço”, um conjunto de volumómetros para instalar à porta das praias do concelho de Cascais. A Finlândia tem este assunto muito desenvolvido nas suas praias e acederam vender alguns dos equipamentos ao administrador Miguel Casaca, especialista de Cascais em equipamentos em segunda mão… Depois do sucesso do desentupidor de colectores vem agora a inovação dos volumómetros!
Perguntam os nossos leitores o que são os volumómetros?
São uns equipamentos parecidos com uns barris mas que têm uns sofisticados sensores que medem o volume de qualquer corpo de pessoa que queira aceder à praia.
O valor estudado anda na ordem de 10 cêntimos por cm cúbico. Este preço foi desenvolvido por uma equipa do IST, a mesma que disse que a construção em Carcavelos junto à praia não altera a linha de costa nem as ondas…
Por este preço por cm2 ainda vai haver quem se preocupe com o preço do parquímetro?
Mas este tema já criou alguns anti corpos na maioria Viva Cascais.
João Salgado já afirmou alto e bom som que se tiver que pagar por volume para ir à praia vai passar a ir para o Algarve.
Por outro lado, os animais da Associação S. Francisco de Assis já ameaçaram com a realização de uma greve de dez dias se o seu dileto administrador  aparecer com um bronze que não seja de Cascais…
Sobre o estacionamento pouco há a acrescentar.
Em notícia de última hora sabe-se que a primeira contratação para as Festas do Mar será a dupla Quim Roscas e Zeca Estacionâncio.
Desconfia-se que Cascais venha também a ter uma dupla deste tipo.
Tudo indica que Carlos Carreiras e Nuno Piteira preparam um duo parecido para o qual já foi elaborado o primeiro estudo de cartaz que divulgamos em primeira mão:
Carlos Roscas e Nuno Estacionâncio!
Com falas menos ordinárias mas igualmente truculentas, acreditam os especialistas de Cascais que este duo tem um futuro risonho, ou seja, a malta ainda se vai fartar de rir à conta deles…