quinta-feira, 4 de maio de 2017

CASCAIS EM PRIMEIRA MÃO

É conhecido o “elevado” nível cultural de Carlos Carreiras pelo que não é intrigante a escolha da obra de Ratã (não sei se com til ou não…) para colocar na Baía de Cascais.
Conhecendo a forma subtil do pensamento de Carreiras é até possível que a escolha tenha vários significados.
Um primeiro significado poderá ser “pára aí, tu que vens a entrar em Cascais porque aqui quem manda sou eu!”
Uma segunda interpretação poderá ser “Olha Pedro, aqui em Cascais vai ser o único sítio onde se pode empregar malta do PSD. Portanto prepara-te, esta coisa de tu mandares e eu ter os empregos não dá…”
Uma terceira via de ler o significado desta escultura poderá ser “ aqui em Cascais a maioria são 6 mas só contam 5 (os homens) porque o resto…”
Mas eu acredito que esta escultura encerra uma premonição: No dia das eleições autárquicas a escultura mantém-se assim para dizer adeus Carreiras, a Carreiras e aos outros cinco.
Depois, o indicador, o anelar e o mindinho curvam-se deixando bem direito apenas o médio…

Adeus Carreiras…

domingo, 12 de fevereiro de 2017

O SEGREDO ESTÁ NAS BICICLETAS


 Cascais está a sofrer uma revolução sobre a batuta de Carlos Carreiras?
Os politólogos, quer os nacionais quer os estrangeiros, há muito tempo que trazem debaixo de olho este extraordinário político que tem servido Cascais e se tem servido de Cascais para demonstrar ao Universo e arredores que ao lado de Carlos Carreiras não há ninguém e como ele nem para trás nem para a frente há igual ou parecido…
A sua visão de “política para as pessoas”, “as pessoas primeiro” tem deixado de boca aberta toda a gente que julgava que em política já tinha visto tudo!
Como se enganaram!
A questão da mobilidade tem gasto muita saliva, muita tinta e muitos bits mas Carreiras está a desenvolver uma solução que será claramente o regresso às origens, mas em Bom!
O segredo está nas bicicletas.
Não está em adequar a oferta de transportes públicos com qualidade, nem em melhorar e adequar a oferta de estacionamento para as necessidades de residentes e de visitantes, nem tão pouco em resolver os nós cegos que o trânsito automóvel ainda apresenta em alguns locais do concelho.
O segredo está nas bicicletas.
Estrada Marginal em 2027
E estas ideias, profundamente amadurecidas por Carlos Carreiras, começam a conhecer a luz do dia e o Agenda está em condições de poder traçar aquilo que certamente será o cenário da mobilidade dentro de 10 anos em Cascais.
Dentro de 10 anos as carreiras da Scotturb e os comboios da CP serão apenas para utilização de alguns turistas, das pessoas que não saibam andar de bicicleta ou das pessoas que não tenham os dois membros inferiores em condições de dar ao pedal.
Estação de Cascais em 2027
A ida para Lisboa e o regresso será facilitada com a reserva da estrada Marginal só para bicicletas.
Fica provado também que todo o barulho que os profetas da desgraça fizeram em torno do Plano de Pormenor da zona sul de Carcavelos e da Universidade em Carcavelos e do caos que seria o trânsito automóvel naquela zona não tem razão de ser.
O segredo está nas bicicletas.
Nas bicicletas e não só.
A via marítima também vai ser uma realidade.
Não pela via dos paquetes, como sabemos uma promessa do nosso Presidente que veio “melhorar” e muito a actividade turística em Cascais, mas com a criação de oferta de bicicletas do mar, as tão recordadas gaivotas que existiam nas praias de Cascais e Estoril. Como funcionam a dar ao pedal, reúnem as condições definidas neste projecto de mobilidade absolutamente revolucionário.
A ideia inicial até foram as chatas, mas existindo o hábito de nos discursos de Carreiras se dirigir sempre às mulheres e aos homens, isto poderia levar a trocadilhos desagradáveis. Chatas na qualidade de feitio ou chatas por ausência de peito, sabemos como as pessoas têm uma facilidade enorme para brincarem com coisas sérias. Mas o pior seria o masculino. Sabemos que chatos são indesejáveis e má companhia…
A grande novidade está no desenvolvimento económico que esta medida trará, nomeadamente com a instalação de novas indústrias no concelho com o associado aumento de oferta de emprego em Cascais.
No local onde já esteve prevista a cidade do cinema e uma urbanização, ou depois e mais recentemente uma escola do Agha Khan e uma urbanização, vai ser construída uma Fábrica com recurso à mais moderna tecnologia e que será um polo industrial inovador. Claro que provavelmente também existirá uma urbanização…
E que fábrica é esta?
Uma fábrica de molas de roupa, para os ciclistas munícipes poderem prender nas calças para não as sujarem na corrente da bicicleta.
Com a adesão de centenas de milhar de pessoas à moda da bicicleta já imaginaram o sucesso que uma fábrica destas trará para Cascais?
Carreiras tem isto bem pensado.
Os velhos do Restelo já estarão a imaginar, ou melhor dizendo, a inventar problemas para este magnífico projecto. Um deles será certamente o problema que poderá representar fazer a viagem até Lisboa de bicicleta ou de barco a pedal e chegar ao emprego sem estar a cheirar a ranço durante o dia todo.
Já foi feito um acordo com a clínica Miradry que permitirá a todos quantos adiram ao Mobi Cascais por 36,90 € por mês, para além das bicicletas, do estacionamento que a Câmara usurpou ao público e que agora isenta de pagamento (?) e do comboio ainda dá direito a um tratamento na clínica para acabar de vez com o suor!
O que seria de nós sem Carreiras? 



terça-feira, 27 de dezembro de 2016

O CÉU É O LIMITE



Carlos Carreiras está na maior encruzilhada da sua vida.
É Presidente de pedra e cal da Câmara de Cascais e coordenador autárquico do PSD e tem um conjunto de desafios pela frente cuja resposta óbvia como solução é só uma: Carlos Carreiras.
Para ganhar Cascais outra vez, todos sabem que o PSD só tem que repetir a mesma receita: Carlos Carreiras e mais dez (podem ser coxos, cegos, manetas ou ter mesmo um certo atraso que não faz qualquer diferença – se conseguiu ganhar com aquela equipa consegue ganhar com qualquer uma…).
Mas Carreiras tem um ego do tamanho da barriga de um elefante e para ele esta é a solução segura, mas o corpo pede-lhe mais…
Todos perceberam que há um problema com a candidatura do PSD a Lisboa. Carlos deu uma boa ajuda para que o não de Santana Lopes surgisse porque assim pode ser encarada a alternativa que segundo Carreiras e o seu alter-ego há muito definiu como solução adequada para a CM Lisboa: para Lisboa o candidato Carlos Carreiras!
Já repararam que a CML já teve Presidentes que depois foram eleitos Presidente da República ou Primeiro Ministro? Conhecem melhor fábrica de celebridades?
Mas se não der há sempre a hipótese de ocupar o lugar de Passos Coelho. A teoria dos 30 ou 40 mil euros para ganhar um Congresso de um Partido nunca esteve tão perto de ser provada. E a teoria sendo dele, tendo sido ensaiada na Distrital de Lisboa do PSD com sucesso agora é só esperar para ver… É tudo uma questão de quotas e de lugares…
Se estas hipóteses falharem há ainda a alternativa de uma candidatura à Presidência do Sporting. Mexe em milhões, o futebol é um desporto onde os relacionamentos se fazem na base da trafulhice e nisso Carreiras é doutorado honoris causa!...
Depois os sportinguistas já se habituaram a um discurso truculento, e se gostam do estilo Bruno vão ter uma agradável surpresa com o estilo Carreiras…
Consta que não percebe nada de futebol mas Carreiras já demonstrou que se pode ser presidente de qualquer coisa sem ter uma ideia que seja. É tudo uma questão de companhia…
Mas a questão mais valorizada por Carreiras é a questão religiosa. Depois de uma grande proximidade com o Colégio Amor de Deus, Carlos quer ser visto como um pecador que se arrepende do mal que faz por onde passa.
Que melhor solução do que ser visto ao lado do Jesus?


quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

NOVA COLIGAÇÃO EM CASCAIS

O Agenda Cascais 31 sabe de fonte segura que Carlos Carreiras, o coordenador autárquico do PSD e candidato de novo a Cascais, já desenhou a solução para Cascais nas próximas eleições autárquicas, estando já negociada a nova coligação e os moldes em que a mesma funcionará.
A equipa directiva de campanha tem 3 nomes fortes, Carlos Carreiras, Átila e Popeye. Atendendo a que o segundo já morreu há uns anos e o terceiro é dos desenhos animados quem vai mandar na prática será Carlos Carreiras.
Carlos Carreiras concebeu uma solução que será de combate a todas as críticas que lhe têm sido dirigidas durante a sua polémica governação de Cascais no último mandato.
Claro que algumas das possíveis soluções passarão por pequenas alterações das regras ou até mesmo alterações legislativas. Se António Costa mexeu na lei para viabilizar uma promessa ao ex futuro Presidente da CGD, Carreiras acredita que essa hipótese não está colocada de parte em relação a Cascais.
A primeira questão que está a ser estudada é se é mesmo necessário eleger vereadores da oposição. É verdade que Carreiras não lhes dá abébias mas se não estivessem a chatear nas Reuniões de Câmara seria melhor.
A segunda questão é a chatice das quotas para as mulheres. O PSD, o CDS e os outros Partidos que vão integrar a coligação não têm mulheres de jeito. As que existem têm demasiadas opiniões e isso não é bom para a harmonia da equipa (Carreiras, Pinto Luz e Piteira). A solução que Gabriel Goucha, reputado jurista do regime de Cascais vai estudar é se podem figurar nas listas da coligação na vez de mulheres uns manequins de montra. Se é só para fazer número não se percebe qual a necessidade de terem carne e osso e talvez cérebro…
Há também novidades na composição da coligação.
Com a promessa de que no próximo orçamento participativo os nossos amigos de quatro patas também podem votar, o PAN aceitou sem pestanejar o convite para integrar as listas da nova coligação.
A discussão está neste momento em saber se o candidato do PAN será um rafeiro zarolho do canil ou um caniche da Quinta da Marinha.
Também a acusação de falta de cultura de Carreiras não fica sem resposta.
Carreiras afirmou ufano que tinha endereçado um convite à Loja Mozart para integrar a coligação e que foi aceite.
Em conversa com os jornalistas Carreiras explicou que, como é sabido, a Loja Mozart para além de pertencer à Maçonaria, onde há inúmeros amigos dele e de Cascais, tem o nome de um escritor célebre…
Os dois jornalistas que o tentaram corrigir foram postos na rua com a acusação gritada de que estavam ali mais dois velhos do Restelo…
O nome da coligação já foi escolhido, tendo por base a verdade indesmentível que Cascais é terra de vivaços, a começar pelos que tomaram conta do aparelho municipal.
Carreiras acredita que há mais vivaços dos que já estão colocados na Câmara e nas várias empresas municipais pelo que apela que se apressem a inscrever no PSD porque o emprego os espera!
Os lemas de campanha também já estão escolhidos:
Cascais é demais – até os bichinhos gostam!
Todos gostam de ser governados por grunhos. E tu, o que esperas para votar?

Perante este quadro, aceitam-se apostas para os resultados das próximas eleições autárquicas em Cascais…

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

UM SUPOSITÓRIO EM FORMA DE MARCO

Há doenças que a maneira mais rápida de as tratar é com o recurso ao supositório.
Uma nova doença tem atacado a classe política, especialmente no PSD e com maior ocorrência no distrito de Lisboa.
Desde que Carlos Carreiras passou pela Distrital deixou a infecção que tem contaminado diversos militantes daquele Partido.
Esta doença não está ainda muito bem estudada mas apresenta sintomas estranhos.
As pessoas infetadas têm ataques de fanfarronice, ficam muito sensíveis à crítica, reagindo com inusitada violência verbal, ameaçando com total falta de propósito, em suma comportam-se como uns mini ditadores, uma espécie de Kim il Sung mas em versão rasca.
Os ataques de fanfarronice dos infectados têm deixado sequelas.
Nas últimas eleições autárquicas o PSD só conseguiu ganhar Cascais e Mafra no Distrito de Lisboa muito por culpa desta maldita doença.
Sintra foi um exemplo acabado. Depois das secções do PSD terem escolhido Marco Almeida para ser o candidato do PSD eis que Miguel Pinto Luz, na altura já Presidente da Distrital de Lisboa do PSD, inventou um candidato à pressa porque não gostava de Marco (acho que não foi ao beija mão…).
Marco candidatou-se como independente, quase ganhava as eleições e relegou a lista do PSD para um “honroso” 3º lugar, mesmo em coligação com o CDS e o MPT.
Marco Almeida levou a sério o compromisso com a população de Sintra e manteve bem vivo o movimento independente Sintra com Marco Almeida.
Claro que pretendia recandidatar-se e claro que isso significaria entregar Sintra ao PS ou à lista independente liderada por Marco Almeida.
Como o PSD precisa de dizer aos quatro ventos que ganhou Câmaras em Lisboa (descer mais do que o ponto a que chegou nas ultimas eleições é desaparecer) tinha um problema grave.
Mas para grandes males grandes remédios.
O PSD, o mesmo Miguel Pinto Luz que não aceitou a candidatura de Marco Almeida em 2013, teve que vir agora mendigar o apoio do PSD à lista do movimento independente de Marco Almeida.
Não é uma cura para a doença mas vai funcionar como tratamento experimental.
Miguel Pinto Luz vai ter que experimentar um supositório em forma de marco, não marco geodésico, não marco do correio mas Marco Almeida.
Esperemos que a experiência seja acompanhada pelo INFARMED…


domingo, 20 de novembro de 2016

ADEUS CARREIRAS…

Por incrível que possa parecer não me estou a despedir de Carlos Carreiras.
Quer dizer, não estou mas também estou.
Mas quero hoje abordar as “promissoras” carreiras que os penduras do PSD de Lisboa e arredores tiveram que abandonar depois de serem atropelados pela geringonça e que vieram recomeçar na Câmara de Cascais, a convite do seu presidente, Carlos Carreiras.
Cascais já faz muito tempo que deixou (se é que alguma vez chegou a estar!) elevado às pessoas, Cascais, a autarquia e todas as suas empresas, passaram a estar elevadas ao Tacho!
Não se trata de nenhuma orientação estratégica virada à gastronomia com intuitos turísticos, estamos mesmo a falar de dar empregos sem trabalho!
Claro que não há fiscalização para isto, os organismos do Estado que deviam fiscalizar estas situações assobiam para o lado e a Assembleia Municipal é ocupada maioritariamente por malta nessa mesma condição portanto nada acontece.
Se nas próximas eleições os munícipes acordam e reagem castigando Carreiras, logo se verá…
Mas quem começa a não achar graça a isto são os funcionários de carreira da Câmara Municipal e das empresas municipais.
Quem acedeu a uma carreira por concurso, quem vê chorado e negado o devido aumento ou actualização de salário ou o reconhecimento do trabalho feito mas vê entrar todos os dias, em condições salariais obscenas, uns atrasados de cartão de militante em punho, não podem estar contentes ou conviver alegremente com esta situação!
José Luís Judas foi quem trouxe para a Câmara de Cascais o hábito do emprego partidário.
Em dois mandatos perdeu o respeito e o apoio dos funcionários da Câmara e logo de seguida perdeu a Câmara.
Desconfio que até nisto Carlos Carreiras vai ser mais eficaz que todos os antecedentes.

A ele vai-lhe bastar um mandato…

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

CASA DE PARTIDA

A gestão do PSD e da Câmara de Cascais levada a cabo por Carlos Carreiras e pela sua entourage mais próxima é uma coisa difícil de entender, de aceitar e de digerir.
Mas poderia ser um “case study”.
É suposto que a gestão de um município esteja virada para os munícipes, para o desenvolvimento da economia e das pessoas, até porque, as eleições autárquicas de quatro em quatro anos, aconselha a que a maioria dos eleitores se sinta confortável com a ação desenvolvida pela maioria eleita e mantenha a vontade de votar nessa maioria.
Carreiras em Cascais decidiu contrariar estes pressupostos e, por incrível que pareça, parece estar a dar certo.
Carreiras está-se marimbando para as gentes de Cascais. O seu foco está em, a partir de Cascais, onde conseguiu impor ao PSD local uma autêntica ditadura, exibir em termos nacionais os seus dotes de pseudo caudilho, e afirmar-se como o poderoso de Cascais que dita “moda política” para Portugal.
Claro, tudo isto com a fatura a pagar pelos Cascalenses!
Não tem importância nenhuma gastar uns milhões do orçamento de Cascais em espetáculos para a rapaziada da região de Lisboa. Vai buscá-los em estacionamento pago pelos otários de Cascais…
Se mete televisão e SIC Caras, Carreiras apoia.
Barcos, “bora” lá!
Aviões, “tamos cá”!
Autódromos, compramos… ou tentamos comprar…
Hospitais, quartéis, esquadras de polícia inacabadas, o que se quiser!
E ai de quem ouse questionar, discutir, pôr em causa!
Carreiras logo solta a matilha de rottweiller com uma pequena nuance: arroga para si a qualidade de arruaceiro mor e desanca de forma desabrida nas reuniões de Câmara ou nas páginas do Facebook quem ouse perguntar porquê ou opinar porque não!
Neste aspeto, o trio de ataque, Carreiras, Pinto Luz e Piteira, tem caraterísticas interessantes que merecem ser analisadas.
Carreiras é esperto, e muito ambicioso. É o tipo de pessoa que era capaz de vender em saldos o braço direito do melhor amigo se disso tirasse vantagem que se visse!
Pinto Luz, dos três, é o mais inteligente e também o mais polido. Claro que é capaz de ir buscar duas camionetas de jovens dos bairros sociais de Oeiras para ganhar eleições da JSD de Cascais mas é dele que nascem as ideias modernas que Carreiras implementa em proveito próprio.
Piteira, quem o queira conhecer de verdade, bastará acompanhar o que escreve no Facebook. Intelectualmente está ao nível de um animal invertebrado, mas é um exímio provocador, comporta-se como um menino de rua, que está sempre a “oferecer porrada” e a chamar nomes à mãe de quem passa!
Esta é a equipa que manda em Cascais, e até ver, com sucesso.
Claro que Carreiras tem uma teoria que é mais ou menos isto: Entre empregos e dependentes da Câmara, dos seus favores e dos seus dinheiros, consegue-se controlar 10 ou 12% do eleitorado de Cascais. Juntam-se mais uns doentes do PSD (tipo sócios do Benfica) e chega-se mais ou menos a 20 ou vinte e poucos por cento do eleitorado de Cascais. Como mais de 50% do eleitorado se está marimbando para as eleições, este score é, por norma, suficiente para ganhar as eleições em Cascais.
Resultou nas últimas eleições e não se vê jeito de alteração para as próximas!
Isto parece um Jogo da Glória.
Carreiras já saiu da casa de partida.

Nas próximas eleições conseguirá atingir a casa da Glória?