segunda-feira, 6 de abril de 2015

OS NOVOS SIGNOS

Hoje tenho que prestar a minha homenagem ao DNA.
O apoio que deram para o desenvolvimento de um estudo sociológico em Cascais permitiu desenvolver um novo modelo de signos ligados a uma realidade muito ligada a Cascais: Os fritos!
Pois a equipa financiada pela Câmara de Cascais através do DNA conseguiu identificar 5 novos signos com exemplos práticos estudados em pessoas ligadas à CMC.
Aqui ficam, a primeira mão, os novos signos:

Signo do Pastel de Bacalhau
Em Cascais o mais conhecido membro deste signo é Carlos Carreiras.
Os muitos seguidores deste autarca criaram um evento para o agraciarem “A semana do Pastel de Bacalhau” que vai já na segunda edição. O cheiro a bacalhau, a batota ou batata como se diz agora (…) e o azeite são os ingredientes inesquecíveis…
Há também quem lhe chame bolo de bacalhau. Batata e bacalhau bem dissimulados em forma de supositório.
As pessoas do signo do Pastel de Bacalhau são dissimuladas mas não conseguem esconder a sua origem algo agreste. Por vezes trazem “espinha” mas na maioria das vezes não.
Só servem para actos informais. Quando se misturam em coisas de maior responsabilidade ou importância vem ao de cima o  “azeite” em que foram fritos. Podem provocar azia se comidos em demasia.
Em Cascais, na perspectiva desta situação, o Partido Socialista candidatou um homem ligado à industria farmacêutica a pensar na necessidade de pastilhas Rennie.


Croquete
Em Cascais o mais conhecido membro deste signo é Nuno Piteira.
Desde o” extraordinário trabalho” que desenvolveu na Cruz Vermelha, passando pela ajuda que deu a tirar o tapete a Pedro Caldeira Santos e os passos que deu para lhe ocupar o lugar na Câmara de Cascais Nuno Piteira é agora também o Presidente da concelhia do PSD. Um “digno” sucessor de Carlos Carreiras…
O croquete adopta também a forma de supositório mas com os extremos mais arredondados. Carne moída e o que mais nos apetece lá meter embrulhados em pão ralado e claro, fritos em azeite ou óleo.
As pessoas do signo são completamente arredondadas ou seja não têm ponta por onde se lhes pegue. São autênticos parasitas, sem conteúdo, sem história e sem consequências. Para trabalhar não servem mas para a confusão são uns autênticos ases. São bons em truques de ilusionismo.




Pastel de Massa Tenra
Em Cascais o mais conhecido membro deste signo é Miguel Pinto Luz
Miguel Pinto Luz descobriu um dia que uma “pequena trafulhice” não seria importante para o seu currículo. Foi assim que conseguiu ser eleito Presidente da JSD de Cascais. Depois foi sempre a subir. Soube em cada momento em que poia colocava o pé conseguindo chegar a Presidente da Distrital de Lisboa do PSD. Por este andar não se admirem de o encontrar em altos voos, ou em voos assim assim…
Fina camada de Massa e lá dentro uma bola de recheio de carne picada. Entre as duas uma larga faixa de …ar! Deve ser frito.
Dizem os experientes que é preciso ter mão para a massa…
As pessoas do signo Pastel de Massa Tenra têm um “espirito inchado” mas quando pretendemos analisar melhor têm muito pouca sustentabilidade de “carne”. Estas pessoas dão-se um certo ar, mas depois de espremidas, o sumo é pouco…
São presunçosas, mas ao mesmo tempo de falinhas mansas.
Se um dia tiveres que escolher entre uma cobra e um pastel de massa tenra…Que a sorte te guie na escolha…



Rissol
Em Cascais um dos exemplos deste signo é João Salgado.
João Salgado passou pela política em Cascais como um foguete. De homem de confiança de Carlos Carreiras a colocado numa prateleira a tomar conta de cães e gatos abandonados foi menos de um fósforo!
Como não podia deixar de ser estamos perante um frito, podendo usar-se azeite ou óleo.
Rissóis, como os chapéus, há muitos.
Hoje em dia dispomos de uma variedade enorme de rissóis, sejam de carne ou peixe, de marisco ou simplesmente de soja o que quer dizer que só se vê por fora porque por dentro é uma surpresa…
As pessoas do signo Rissol são, à imagem do frito, grossas na capa e uma autêntica incógnita por dentro.
Inicialmente mais dados a marisco, foram enveredando por versões de peixe e mais tarde de carne. Os animais, no rissol, estão sempre presentes!
Têm uma história efémera. São “giros” enquanto os apreciamos nos pratos mas rapidamente podem provocar uma enorme desilusão depois da primeira “trinca”.


Peixinho da Horta
Em Cascais um dos exemplos deste signo é Fernando Marques.
Depois de ter dito de Carlos Carreiras o que Maomé teve vergonha de dizer do toucinho, mostrou-se que afinal era um fiel seguidor do autarca de Cascais desde que lhe fosse dado um lugar na estrutura. Se é esse o preço para estar calado, porque não?... Se assim pensou Carlos Carreiras melhor o fez…
Feijão verde embrulhado em ovo tem tudo a haver com peixinho…
As pessoas do signo peixinho da horta são falsas, dissimuladas, não hesitam em mentir sempre que isso lhes traga algum proveito.
São óptimos vendedores, mesmo que de banha da cobra, e desempenham com facilidade a missão de feirante. Por vezes podem ser confundidos com bons gestores de mercados municipais.
Em linguagem Bíblica pode dizer-se que “Não interessam nem ao menino Jesus!...”

sábado, 28 de março de 2015

QUAIS AS DIFERENÇAS?

Sabemos agora que também Sócrates deu o nome mas não foi ele o autor do livro “Confiança no Mundo – Sobre a Tortura em Democracia”.
Não é inédito.
Cascais tem um Presidente de Câmara que há muito tempo assina artigos no jornal I, publicou também um livro mas não é ele que os escreve!
Têm ainda em comum a tendência para serem embusteiros e autoritários.
A única diferença, é que Carreiras ainda não foi preso…

Haja paciência…

domingo, 15 de março de 2015

PROCURA-SE!


João Salgado tem tendência para desaparecer.
Este animal de aparência dócil foi muitas vezes de carácter hostil e beligerante, sempre pronto a morder quem quisesse fazer mal ao dono.
Desapareceu no ano passado do Gabinete do Presidente Carlos Carreiras mas ainda foi visto na Assembleia de Freguesia de Carcavelos/Parede de onde desapareceu também.
Consta que a Comissão Política do PSD de Carcavelos se fartou de tanto ladrar sem razão aparente…
Agora parece que se encontra recolhido na Associação S. Francisco de Assis.
A ser verdade, pede-se que alguém tenha coragem de o adoptar!

Não queremos que seja mais um a ir para abate!

domingo, 1 de março de 2015

CASCAIS VAI CRIAR MAIS BAIRROS

Depois do sucesso comprovado da recente criação do Bairro dos Museus, Carlos Carreiras e a sua exuberante equipa criativa prepara já uma nova série de iniciativas da mesma índole que serão, estamos certos, de sucesso garantido.
Para contrariar a ideia que a Câmara Municipal só conhece a parte a sul da auto estrada entre o Estoril e a Quinta da Marinha está já em preparação o Bairro das Estações Arqueológicas.
A começar em Freiria, onde a estação arqueológica parece que está abandonada mas é tudo cénico!...
O mesmo acontece com Casais Velhos, Miroiços, Alto do Cidreira, tudo demonstrações do empenho que a Câmara de Cascais tem sabido colocar na defesa do seu Património! Com Carlos Carreiras estamos convictos que havemos de pagar bilhete para visitar as ruinas e ainda temos que contribuir a arrancar algumas ervas também…
Outro empreendimento que se seguirá será a criação do Bairro das Casas Inacabadas. A troco de um bilhete a preço simbólico poderemos visitar a Esquadra da PSP em Cascais, a Escola de Rana e perceber como se gere bem o dinheiro dos contribuintes…
Mas, se nos é permitida a sugestão, deixo à consideração um tema para ser trabalhado pela equipa maravilha de Carreiras – O Bairro da Aldrabice.
Já imaginaram visitas guiadas aos gabinetes da Presidência e da vereação?

Com bilhetes pagos, claro…

sábado, 14 de fevereiro de 2015

BURRO OU GALO?

Carlos Carreiras não pára de nos brindar com a “sua suave maneira” de fazer política.
A boa educação, a cordialidade, a afabilidade, o cavalheirismo são características que têm muito a haver com o berço e com a educação que os pais nos dão.
Por vezes é possível aprender ao longo da vida, mas é mais difícil.
Carlos Carreiras, nasceu em S. Domingos de Rana, e naquela altura ainda era muito longe de Cascais…
No que respeita a educação e elevação, o que não adquiriu em casa também não conseguiu ao longo da vida…

 Tudo isto porque ao que parece, Carlos Carreiras resolveu alimentar uma discussão linguística acerca de um termo usado por Isabel Magalhães num comunicado.
A Vereadora ter-lhe-á chamado nhurro, e Carreiras sentiu-se “melindrado”.
Ora o dicionário diz que “Nhurro” é sinónimo de Burro, pouco inteligente, pouco esperto, teimoso como um burro.
Convenhamos que as características até assentam bem a Carlos Carreiras mas permitimo-nos discordar de Isabel Magalhães.
Chamar burro a Carlos Carreiras, ou pelo menos teimoso como um, é muito insuficiente para caracterizar Carreiras e a sua troupe.
Carreiras não é só teimoso, é um ditador.
Não aceita outras opiniões, ou ser contrariado, reage de forma mal criada e agressiva sempre que alguém ousa criticar!
Ora esta atitude não tem muito a haver com burros, a mim parece-me mais atitude de galinheiro.
Carlos Carreiras é mais galo, careca mas galo!
E os seus ajudantes, o pinto e o frango Piteira, compõem o ramalhete, pinto e frangos com pretensões mas que galos nunca chegarão a ser!
É giro ver que pelo menos estes atingiram os tachos mesmo continuando a ser galo ou frangos!
Afinal, para estes, o tacho não significou um fim, mas antes um meio…

E para nós munícipes fica-nos o desabafo: mas qu’a galo!

domingo, 9 de novembro de 2014

GUERRA DE CERVEJAS E BOM SENSO…


Já tem alguns dias mas ainda assim vale a pena recordar os mimos de Carreiras em relação à intervenção de Pires de Lima sobre a tentação dos autarcas virem a criar taxas e taxinhas…
Tão amigos que nós fomos…
Pires de Lima foi, até há pouco tempo, o Presidente da Assembleia Municipal de Cascais e sempre foi (pelo menos aparentemente…) unha com carne primeiro com Capucho e depois com o “Delfim” que Capucho nos deixou.
Nos últimos tempos Carreiras pagou na mesma moeda, obrigando Zilda Silva, a Presidente da Junta de Carcavelos a votar ao contrário das orientações que trazia da sua Assembleia de Freguesia, quando da votação do Plano de Pormenor Sul de Carcavelos, só para evitar que o Ministro da Economia/Presidente da Assembleia Municipal de Cascais tivesse que usar o voto de qualidade para aprovar o frete imposto por Carlos Carreiras.
Ora há um grupo de pessoas mais chegadas que acha que tudo isto não passa de uma guerra de cervejas, entre a Super Bock do Pires de Lima e a Cintra de Carlos Carreiras!
Por mim, mesmo não sendo muito esquisito nos gostos cervejeiros, está na cara que a Super Bock dá dez a zero à Cintra! Não é por acaso que o Carreiras teve que ir montar fábricas no Brasil (Ah sempre o Brasil…) porque aqui, Cintra estava a um nível bem abaixo do das Pedras Salgadas…
Pena é que o ex patrão Sousa Cintra o tenha empurrado de encontrão para essa condição (ex empregado) e que o homem tenha decidido refazer a vida à custa dos munícipes de Cascais…
Mas o Ministro conhece de ginjeira o “menino Carlinhos” e topa-o à légua e pior do que isso, Carlos Carreiras sentiu-se como se tivesse sido apanhado pela mãe com a mão na lata das bolachas…
Carlos Carreiras sabe que o bom senso que aconselha ao Ministro, em Cascais há muito tempo que está esgotado e parece que só volta a haver depois de novas eleições (e novos dirigentes claro!).
Ainda assim, numa clara demonstração de “bom senso” lá vai em 2015 aos bolsos dos munícipes com um brutal aumento das tarifas de Resíduos que, pasme-se, continuam a ser cobradas em função do consumo de água e não dos lixos produzidos!
Carlos Carreiras perdeu a mão das finanças da Câmara de Cascais.
O buraco negro, gerido pelo prestidigitador Piteira, homem de “reconhecida competência…” está a agravar-se de dia para dia.
Falta o dinheiro para obra, quase não há para festas e para alimentar os “Júlios” dos sistema, pelo que não é fácil adivinhar que Carreiras vai continuar a inventar formas de incrementar receitas antes que falte o “leite para alimentar tanta cria”!...

Por isso desenganem-se, não é a Super Bock que dá poderes de adivinhação! Simplesmente o Ministro sabe o que a casa gasta!

domingo, 5 de outubro de 2014

CASCAIS, TERRA DE ... TANTAS COISAS...




Cascais começou por ser terra de pescadores.
Foi terra escolhida por Reis e pela família Real.
Foi, a partir dos anos setenta a terra dos patos bravos.
Mas com a chegada de Carlos Carreiras à Câmara de Cascais a moda em Cascais passou a ser efémera, porque a dinâmica instaurada por este “ícone da democracia” é imparável.
As modas, as tendências, sucedem-se a uma velocidade imensa forçadas pela dinâmica de dar nas vistas que Carlos Carreiras quer imprimir.
Há poucos anos foi a colónia de burros lanudos que foram, por obra da Câmara, ocupar Vale de Cavalos.
Cascais, pela mão e vontade de Carreiras, passou a ser a terra dos burros.
Mas muita gente brincou com isso (até eu glosei neste blogue os asininos Carreiras, Luz e Piteira!) e Carlos quis mudar a imagem de novo.
Carlos é um camaleão.
Tão depressa é um furioso motoqueiro ao domingo, modelo de quadro da Paula Rego à segunda, à terça um danado surfista, à quarta janta com os tios da Vela de Cascais, à quinta é vice presidente do PSD a largar uma farpa a Rui Rio ou a criticar o governo do seu Partido, à sexta recebe o Grão Mestre da Loja Maçónica, e no sábado passeia com as Freiras do Amor de Deus!
Muita gente, apesar da personalidade tão versátil, considera-o detentor de certa inteligência, apesar da formação de contabilista.
Mas impunha-se transformar Cascais numa terra de inteligentes. Com a ajuda da Universidade Nova vem aí um viveiro internacional de inteligência. Para o projeto pouco contribuirão os residentes uma vez que está mais ou menos provado que inteligência em Cascais é um bem escasso…
Mas Carreiras, pai de família numerosa, com ligações à maçonaria, à igreja, à Quinta da Marinha e a um infindável número de outros “grupos de pressão” faltava-lhe um que não tinha ainda sido “namorado” – o lóbi gay!
Para isso desenterrou uma arma que a mais ninguém passaria pela cabeça – mudar o logo e a imagem da Câmara de Cascais dando-lhe um ar mais arredondado, às bolinhas, muito mais fofinho!
Poderia passar por algumas cabeças que esta súbita necessidade de mudar a imagem institucional pudesse ter alguma ligação com a necessidade de pagar uma qualquer fatura do exagero que foram os custos da coligação Viva Cascais nas últimas eleições mas para mim faz muito mais sentido que a nova imagem nos queira assumir como Cascais, terra de gays!
Ai Carlos, você de pensar assim em tudo, dá-me a volta à cabeça!...